Amigos leitores que por aqui já passaram

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Canção do porvir

Quem dera que um dia,
não mais que um dia,
num vão de alegria
voltasses pra mim...

Sei que nesse dia,
apenas um dia
pleno de poesia,
diria que sim...

Então,

todas as canções
perdidas nas horas,
todas as viagens
deixadas lá fora,
todas as tormentas
das naus de outrora,
todas as histórias
sem ponto final...

Assim,

com o dia já posto,
caiando teu rosto,
cumprimos a sina
d'outra solidão.

Mas peço que um dia,
não mais que um dia,
te lembres que habitas
o meu coração...


* Criei esse poema para ser musicado, daí ter versos tão singelos e melódicos. Se notarem, os versos são redondilhas, havendo, pois, uma simetria necessária à musicalidade. Quanto à temática, pecebe-se claramente uma motivação lírica, amorosa. Não sou bom com as palavras quando o negócio é amor. Talvez por não tê-lo efetivado.

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. O senhor diz não ser bom quando se fala em amor ,mas sabe tocar o corção das pessoas!

    ResponderExcluir